Autor Subscrever este autor
Avatar do usuário
pactux
Aprendiz
Aprendiz
 
Artigos: 5
Registro: 09 Jun 2015, 02:55
Distro utilizada: Manjaro Linux
Versão: 16.06
Ambiente: Gnome
Repositório: Stable
Habilidade: Novice
Pesquisar artigos

Exportar artigo
Compartilhar em
Blogger Delicioso Digg Facebook Feed amigo Google Linked In Live Mixx MySpace Netvibes Reddit Stumble Upon Technorati Twitter Wordpress
 

Ruby: usando um ambiente de desenvolvimento no Manjaro

ID do artigo: 141
Adaptado por: pactux
Adaptado em: 22 Jul 2016, 17:22
Descrição do artigo: Criar um ambiente minimamente funcional no Manjaro Linux.
Link externo para este artigo:
http://www.manjaro-linux.com.br/forum/kb.php?a=141

Imagem

Há pouco tempo atrás me perguntaram sobre a linguagem de programação Ruby (forma de aprendizagem) e se era possível trabalhar com ela no Manjaro (qual o processo instalação, ferramentas, etc). E pensando nisso resolvi escrever esse texto, pois essa também pode ser a dúvida de outras pessoas.

A principio não vou ensinar Ruby, mas apenas mostrar a criação de um ambiente minimamente funcional para que os interessados possam começar os estudos da linguagem sobre a plataforma Manjaro Linux.

O conteúdo está dividido em cinco partes:

- O que é Ruby (breve resumo);
- Instalação;
- Editores de texto;
- Hello world!;
- RubyGems

Sem mais delongas, vamos ao assunto.

O que é Ruby? (breve resumo)

Ruby foi criado por Yukihiro Matsumoto em meados de 1995, pertence ao conjunto de linguagens de programação de tipo interpretada, é orientado a objetos, possuí tipagem dinâmica/forte e também conta com um Garbage collector.

Ruby se destaca pela sintaxe agradável e possui uma comunidade muito forte (inclusive no Brasil). E como toda grande
linguagem, ele também conta com frameworks para agilizar o processo de desenvolvimento, como o Sinatra e o Ruby on Rails por exemplo.

Você pode uilizar Ruby para diversas tarefas, seja no Gerenciamento de servidores e sistemas, processamento de
arquivos, criação de aplicações web, etc.

Instalação

Agora que já sabemos do que se trata, vamos a instalação. Abra o terminal e digite:

Código: Selecionar todos
# pacman -Syy


Esse comando serve para sincronizar os repositórios antes do sistema trabalhar com os pacotes. Em seguida, vejamos se o pacote que desejamos existe para ser instalado:

Código: Selecionar todos
# pacman -Si ruby


ou se preferir

Código: Selecionar todos
# pacman -Ss ruby


Ainda no terminal, digite a instrução abaixo para instalar:

Código: Selecionar todos
# pacman -S ruby


Após a instalação, confira se o processo ocorreu com sucesso através do comando:

Código: Selecionar todos
# ruby -v


Se os pacotes foram instalados com sucesso, a resposta será a versão do ruby presente no sistema.

Editores de texto

De nada vale uma grande linguagem de programação instalada, se não houver um bom editor de textos para manipula-la, em uma analogia, é como executar uma boa música em um simples rádio de pilhas (nada contra essa tecnologia).

Tendo isso mente, proponho a utilização de alguns editores de texto que são muito bons para escrever em Ruby. Abaixo fiz uma breve lista com os mesmos junto com dicas rápidas, como instalação e configuração para que funcionem com essa linguagem:

- Sublime Text

Eu costumo chama-lo de "Editor de tudo", pois essa ferramenta suporta diversas linguagens de programação, como C, C++, [...] e Ruby é claro!

Para instalar, abra o terminal e escreva:

Código: Selecionar todos
$ yaourt -S sublime-text-dev


- Bluefish Editor

Outro que chamo de "Editor de tudo" pela capacidade em fornecer suporte a diversas linguagens de programação, inclusive
Ruby. O Holmes já havia falado dele nesse post.

Para instalar, abra o terminal e escreva:

Código: Selecionar todos
# pacman -S bluefish


- Vim

Impossível falar de editores de texto e programação em plataforma GNU/Linux sem ao menos citar a palavra 'Vim'. E por esse motivo deixo-o como opção para vocês.

Para instalar, volte ao terminal e escreva:

Código: Selecionar todos
# pacman -S vim-python3


Se você não conhece essa espetacular ferramenta e deseja saber um pouco sobre, leia esse texto e esse aqui também.

Por padrão, o Vim "não suporta" a sintaxe Ruby, e por isso vamos configura-lo para isso.

Obs: O Vim suporta Ruby sim, o que quero dizer é que coisas como o auto-complete não vem habilitado por default.

Para ativar esses detalhes, abra o arquivo de configuração do editor (pode ser com o próprio Vim).

Código: Selecionar todos
# vim /etc/vimrc


No final do arquivo insira as linhas abaixo:

Código: Selecionar todos
" Ruby
autocmd Filetype ruby,eruby let g:rubycomplete_buffer_loading = 1
autocmd Filetype ruby,eruby let g:rubycomplete_classes_in_global = 1
autocmd Filetype ruby,eruby let g:rubycomplete_rails = 1


Para que a sintaxe seja auto completada, basta utilizar os atalhos Ctrl + x e Ctrl + o quando estiver digitando.

Deixo claro nessa seção que os editores de texto mencionados acima são de MINHA preferência, isso quer dizer que você é livre para escolher aquele que mais lhe agrada, esteja ele na lista ou não.

Hello world!

Vamos escrever nosso primeiro código em Ruby? Pois bem, abra o editor de texto de sua preferência e escreva:

Código: Selecionar todos
puts "Hello world!"


Em seguida salve o arquivo com o nome que desejar (levando em consideração que a extensão do mesmo deve ser .rb, como por exemplo hello.rb), vá ao terminal e escreva ruby arquivo.rb.

Ou se você quiser fazer algo mais legal:

Código: Selecionar todos
texto = "Isso é Ruby"

if texto.length == 10
   puts "Hello world!"
else
   puts texto.upcase
end


Só nesse pequeno trecho acima é possível ver e ter uma breve noção de variaveis, estruturas de decisão / comparação e invocação de métodos. ;)

Outra forma de interação com o Ruby é através de uma ferramenta chamada irb que é nativa da linguagem. Abra o terminal e digite: $ irb. Você será direcionado para um "terminal Ruby" na qual é possível testar comandos. Quer testar? Digite dentro do irb:

Código: Selecionar todos
irb(main):*:0> "ruby"
irb(main):*:0> 4*4
irb(main):*:0> "string".capitalize
irb(main):*:0> quit


RubyGems

Nesse ultimo tópico, deixo uma breve introdução sobre a ferramenta RubyGems. Ela nada mais é do que um simples mas poderoso gerenciador de pacotes. Guardadas as devidas proporções, pense nela como um pacman ou yaourt para Ruby.

Obs: Importante frisar que um pacote a ser manipulado nesse gerenciador chama-se gem.

- Exemplo de utilização

Digamos que você esteja desenvolvendo alguma ferramenta de automatização para sua máquina e essa ferramenta precisa guardar informações em uma base dados local, como o SQLite3 por exemplo. Se você tentar fazer a conexão, o Ruby retornará um erro e lhe informará que a gem responsável pela conexão não está instalada. O que fazemos nesse caso? Instalamos...

Quando disse que o RubyGems age como o pacman, não estava brincando. Vamos instalar a gem responsável pelas
conexões do SQLite3 e você verá sobre o que estou falando...

Abra o terminal e digite:

Código: Selecionar todos
$ gem install sqlite3


Parecido, não?

Para listar todas as gems instaladas:

Código: Selecionar todos
$ gem list


Para atualizar todas as gems instaladas:

Código: Selecionar todos
$ gem update


Para ver a lista completa de comandos:

Código: Selecionar todos
$ gem help commands


Para mais informações a respeito dessa ótima ferramenta, acesse a página oficial do projeto: https://rubygems.org/

Referência

Os créditos por este texto são para pactux.

Mudanças

- Holmes, 22/07/2016, inserção do texto.
- Holmes, 22/07/2016, ajustes pontuais.

Conteúdo distribuído sob a licença GNU FDL

Este artigo foi editado por Holmes em 22 Jul 2016, 17:30
Razão: ajustes pontuais


^ Voltar ao Topo